Centro Cultural Oscar Niemeyer

O Centro Cultural Oscar Niemeyer, também conhecido como CCON, foi inaugurado em 2006 e atualmente é um dos nomes mais lembrados pela população goianiense quando o assunto é cultura e lazer. Seus principais edifícios foram construídos em formas geométricas, o que o tornaram um dos ícones de Goiânia. Diariamente, é possível encontrar fotógrafos utilizando o CCON para realizar ensaios. O resultado das fotos é surpreendente devido a junção da arquitetura e das incomparáveis cores do céu, que se destacam devido a ausência de construções ao redor.

Localizado às margens da GO-O2O, rodovia que liga Goiânia a cidades como Senador Canedo, o Centro Cultural foi projetado por Oscar Niemeyer e por isso foi batizado com o nome do arquiteto carioca. O CCON foi construído sobre uma esplanada de 26 mil metros quadrados, a Esplanada Juscelino Kubitscheck, praça destinada à realização de eventos, lazer e prática de esportes.

O complexo é composto por quatro edifícios geometricamente puros: um retângulo que abriga as bibliotecas infantil, adulta, virtual e escritórios administrativos; um cilindro onde fica o Museu de Arte Contemporânea (MAC); um cambota que abriga o Palácio da Música e uma pirâmide de 36 metros de altura que abriga o Monumento aos Direitos Humanos.

O conjunto de bibliotecas já acumula 20 mil exemplares distribuídos nas seguintes áreas: Artes, Design, Dicionários, Enciclopédias, Guias, Livros sobre o arquiteto Oscar Niemeyer, Culinária, Gastronomia, Teatro, Literatura Nacional, Literatura Estrangeira, Biologia, Cinema, Crítica Literária, Museologia, Biografia, História em Quadrinhos, Sessão de Autores Goianos, Política, Sociologia, Biblioteconomia, Educação, Psicanálise, Antropologia, Arquitetura, Urbanismo, Moda, História, Dança, Música e Lingüística. A expectativa é que o acervo seja composto por 60.000 exemplares. No prédio das bibliotecas, também há um auditório com 135 lugares.

O Museu de Arte Contemporânea ocupa 2.483,87 m² de área edificada. Sua estrutura inclui o salão principal de exposições, o mezanino e duas galerias no subsolo, que homenageiam os artistas Cléber Gouvêa e D.J. Oliveira). No subsolo também se localizam as salas administrativas.

Entre alguns dos grandes artistas que já tiveram obras expostas no MAC/CCON estão: Frei Nazareno Confaloni, Antônio Poteiro, Marcelo Solá, Ana Maria Pacheco, Pablo Picasso, Humberto Campana e Fernando Campana, Siron Franco e Arthur Bispo do Rosário. De 1999 a 2019 o MAC sediou 115 exposições entregues ao público.

Atualmente o acervo do museu é composto por 1.200 obras de artistas como Cléa Costa,Yashira, Antônio Poteiro, Octo Marques, Iza Costa, Amaury Menezes, Marcelo Solá, Dinea Dutra, Beatriz Milhazes,Tarsila do Amaral, Ana Maria Pacheco, Babinsk, Carlos Scliar, Oscar Niemeyer, Naura Timm, Ana Bella Geiger, Carybé, Tomie Otake, Alfredo Volpi, e tantos outros. É constituído por esculturas, desenhos, pinturas, gravuras, objetos, fotografias, instalações e mídias contemporâneas.

O Palácio da Música Belkiss Spenziere ostenta traços que se tornaram grandes símbolos da obra de Niemeyer. O concreto armado tão característico do mestre da arquitetura modernista dá forma ao esférico palácio, que, em sete mil metros quadrados, abriga um teatro com mais de 1,5 mil lugares, com fosso de orquestra, camarotes para 284 lugares e bar. A Orquestra Filarmônica de Goiás tem o Palácio da Música como sede. Desde 2012, quando foi recriada, a Filarmônica já realizou cerca de 100 apresentações no local, reunindo um público médio de 40.000 pessoas por ano.

Já o Monumento aos Direitos Humanos, a icônica pirâmide vermelha, possui 700 metros quadrados de área e abriga um auditório de 700 lugares, jardim de inverno e salão de exposições.

Da data de sua inauguração até hoje, o Centro Cultural Oscar Niemeyer produziu e sediou cerca de 400 eventos no Palácio da Música, no Museu de Arte Contemporânea de Goiás, no Monumento aos Direitos Humanos, na Esplanada JK e nas galerias subterrâneas, salões e auditórios do prédio principal.

Alguns dos eventos já sediados pelo CCON: Feirinha do Oscar, Festival Bananada, Goiânia Noise, Festival Vaca Amarela, Cerrado Mix, Festival Internacional de Dança, Arraiá do Cerrado, Festa do Oscar, IBU Goiânia, Seminário Cultura e Pensamento América Latina, entre outros.  

Alguns dos artistas que já passaram pelo CCON: Elza Soares, Gal Costa, Moraes Moreira, Alceu Valença, Arnaldo Cohen, Jorge Ben Jor, David Guetta, Caetano Veloso, Almir Sater, Pabllo Vittar, Lenine, Paralamas do Sucesso, O Rappa, Nelson Freire, Humberto Gessinger, Isaac Karabtchevsky, Fabrício Carpinejar, Erasmo Carlos, Jonnhy Hooker e outros.

Algumas das exposições já realizadas no CCON: Prêmio Marco Antonio Vilaça (vários), ABC Confaloni (Frei Nazareno Confaloni), Poteiro – Colorista do Brasil (Antônio Poteiro), Marcelo Solá, Totalitarium (Pitágoras), A arte de Ana Maria Pacheco, Múl plo Leminski, Picasso: Paixão e Erotismo (Pablo Picasso).

O Projeto Café de Ideias trouxe grandes nomes do pensamento nacional para conferências gratuitas em Goiânia. Por ele já passaram desde 2015: Leandro Karnal, Ruy Castro, Marilena Chauí, Flávio Gikovate, Jorge Forbes, Roberto DaMatta, Cacá Diegues, Demétrio Magnoli, Miriam Goldenberg, Luiz Felipe Pondé, Monja Coen e outros.

Estima-se que mais de 1 milhão de pessoas já visitaram o CCON até o momento.

Endereço: Avenida Deputado Jamel Cecílio, Lote 01, Quadra Gleba, Alameda Fazenda Gameleira, 4490 - Setor, Goiânia - GO, 74884-801

Telefone: (62) 3201-4900

Horário: terça a domingo  9h às 22h 

E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Redes: @ccon_goias