Fica 2020 amplia premiações para filmes de temática ambiental

Ao todo serão distribuídos R$ 142,5 mil aos vencedores do festival, em valores que variam de R$ 2 mil a R$ 7 mil por categoria disputada. Pela primeira vez, obras selecionadas para mostras competitivas também vão receber bonificação

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Cultura (Secult Goiás), inova na realização da 21ª edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica 2020), que ocorrerá entre os dias 16 e 21 de novembro. Além do formato, que será totalmente adaptado ao ambiente virtual, a premiação também chega reformulada. Pela primeira vez o festival irá contemplar não só as obras vencedoras, mas também todas as produções que forem selecionadas para a mostra.

Ao todo serão distribuídos R$ 142,5 mil em valores que variam de R$ 2 mil a R$ 7 mil, nas premiações: Cora Coralina, Carmo Bernardes, Acari Passo, João Bênnio, Jesco Von Putkammer, Luiz Gonzaga Soares (menção honrosa), além de troféus e certificados.

O diferencial nesta edição é que os filmes que forem escolhidos nas mostras competitivas do festival receberão uma taxa de seleção, denominada de Prêmio José Petrillo, no valor de R$ 3,5 mil para longa-metragem e R$ 2 mil para cada curta-metragem. Esse montante é acumulável com outros prêmios que o realizador possa vir a receber durante o festival.

Haverá, ainda, premiação à Mostra da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas de Goiás (ABD), nas categorias melhor filme de ficção, melhor filme documentário, melhor filme de experimental, melhor diretor, direção de fotografia, roteiro, atuação, melhor som, trilha musical e direção de arte, com valores de R$ 2, 5 mil e R$ 2 mil.

Outro destaque do Fica 2020 é para o prêmio Goiás do Futuro, criado nesta edição, com valores de R$ 5 mil, R$ 3 mil e R$ 2 mil, que serão concedidos para propostas de ideias de sustentabilidade relacionadas ao meio ambiente e ao empreendedorismo que visem tornar a cidade de Goiás mais sustentável e inovadora.

O prêmio foi criado para auxiliar a histórica Vila Boa, palco de memoráveis edições do Fica, a gerar mais empregos e renda, já que, neste ano, não haverá atividades presenciais do festival no município.

A reformulação na estrutura, na programação e na premiação do Fica 2020 foi pensada, planejada e desenvolvida pelo Governo de Goiás com o propósito de incentivar e democratizar a participação dos realizadores, bem como valorizar as produções audiovisuais que abrangem a temática ambiental.

O secretário de Cultura, Adriano Baldy, destaca ainda que, mesmo com a redução do orçamento, a proposta do Fica é destinar maior valor de recursos e ajudar mais pessoas, além de privilegiar os fazedores da sétima arte, especialmente nesse momento difícil, de crise provocada pela pandemia da Covid-19.

“Nesse formato diferente, a boa notícia é que podemos democratizar a distribuição desses prêmios. Com isso, apesar do orçamento reduzido, alcançaremos um maior número de profissionais”, comenta o secretário.

Participação

 As inscrições de filmes para concorrer ao Fica 2020 estão abertas até o dia 27 de setembro e podem ser feitas pelo site oficial do festival: www.fica.go.gov.br, onde o regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis.

A lista de selecionados será publicada também no site do festival até o dia 12 de outubro de 2020, sendo esse prazo prorrogável a critério da organização da mostra.

As obras serão selecionadas por um júri composto por três membros indicados pela Secult Goiás, após consulta às entidades representativas da atividade audiovisual no Estado de Goiás.

Já o júri oficial de premiação do festival, também indicado pela Secult Goiás, será constituído por dois membros de destacada atuação audiovisual ou ambiental e coordenado por um presidente