Orquestra Filarmônica de Goiás investe em diversas atividades virtuais para manter a conexão com o público

Concertos virtuais, masterclasses e mesas redondas online são atividades contempladas pelo Projeto Reconecte-se, que busca manter a interação da Orquestra com o público, em tempos de pandemia. Gravação inédita realizada no CCON reuniu a corporação no palco após um ano sem tocarem juntos

Com mais de um ano sem subir aos palcos devido à pandemia, a Orquestra Filarmônica de Goiás (OFG) tem buscado se reinventar continuamente para manter o vínculo estabelecido com o público desde a sua criação, há 40 anos. Em ensaio e concerto, realizados nos dias 29 e 30 de maio, após todo esse lapso temporal, a orquestra voltou a se reunir para uma gravação viabilizada por meio de parceria entre a Secretaria-Geral da Governadoria (SGG), a Secretaria Estadual de Cultura (Secult) e a Tv Anhanguera, resultando em uma série especial para o programa Leve a vida, da emissora goiana.

Para isso, todos os 46 músicos passaram por testes de diagnóstico da Covid-19, respeitando as medidas de distanciamento e aplicação de divisórias acrílicas como reforço da proteção individual. O resultado poderá ser conferido em primeira mão em pílulas exibidas dentro da programação, nos próximos dias.

A OFG na pandemia

Reconhecida nacionalmente por empreender um trabalho sistemático de democratização da música erudita, ao promover concertos gratuitos por todo o Estado de Goiás, a proibição de eventos que resultem em aglomerações fez com que a orquestra buscasse uma nova forma de interagir com seu público. Assim surgiu a proposta do projeto Reconecte-se, temática deste ano adotada pelo maestro titular e diretor artístico Neil Thomson, e empreendida pelo seu coro sinfônico composto por 46 músicos.

Além de lidar com criatividade perante as dificuldades impostas pelo estado de calamidade na saúde pública, a Orquestra tem recebido uma atenção especial do Governo de Goiás, mediante os esforços empreendidos pelas Secretarias de Cultura (Secult); de Desenvolvimento e Inovação (Sedi) e Goiás Turismo, amparadas pela Secretaria-Geral da Governadoria (SGG), para regularizar a contratação temporária de seus músicos, diante da escolha de um novo modelo de gestão.

Enquanto a formalização é trabalhada no âmbito administrativo estadual, coube aos músicos colocar em prática uma proposta que mantenha viva na população a emoção de conhecer repertórios clássicos de altíssimo nível. “Ao idealizar o projeto Reconecte-se, quis transmitir uma mensagem positiva de renovação e esperança. A música tem sido muito importante para as pessoas durante a pandemia. Traz conforto e alegria, mesmo em momentos sombrios. Por isso, eu queria chegar ao nosso maravilhoso público e mostrar a eles que a OFG continua empenhada em trazer performances de nível internacional para Goiás”, explica o maestro.

Sobre o Reconecte-se

Para promover essa conexão com os fâs da música clássica em tempos de pandemia, a OFG optou por utilizar o meio digital como ambiente de interação com seu público. Assim, tanto seus músicos quanto a plateia, agora virtual, se mantêm em segurança, sem riscos de contágio pelo novo coronavírus. Com o canal escolhido, foi possível traçar uma série de ações, que estão sendo disponibilizadas gratuitamente, por transmissão via internet.

A programação estabelecida mensalmente inclui mesas redondas conduzidas pelo maestro titular, com a participação de convidados especiais como o diplomata e criador do “Brasil em Concerto”, Gustavo de Sá; do diretor artístico da Orquestra Sinfônica de São Paulo, Arthur Nestrovski, entre outras autoridades do meio musical erudito.

Outra atividade do programa é a masterclass oferecida por músicos da orquestra. Com transmissão pela plataforma Zoom, os participantes têm a oportunidade de conhecer as curiosidades dos instrumentos musicais, apresentadas por um músico profissional. “Elaboramos um calendário de atividades virtuais com masterclasses dos nossos próprios músicos e mesas redondas com ilustres convidados de todo o mundo, para serem dirigidas a diversos públicos, desde crianças, público leigo a alunos avançados”, explica Neil Thomson.

Concerto virtual

Ao adotar todas as medidas de segurança, a orquestra retomou os ensaios presenciais em maio para promover a gravação de um concerto que será disponibilizado online. A ação está sendo desenvolvida em parceria com a Tv Anhanguera, que vai utilizar o conteúdo gravado para o seu programa Leve a Vida, idealizado para trazer pílulas durante a programação com temáticas que contribuem para amenizar os efeitos nocivos da pandemia. Além da gravação do concerto na íntegra, uma equipe da Tv também vai colher depoimentos dos músicos, que vão poder contar um pouco da sua relação com a Orquestra goiana. 

Para o concerto virtual foi escolhido repertório variado que vai de Dvorak, Mozart, Beethoven a compositores nacionais com Nunes Garcia, Carlos Gomes e Ernesto Nazareth. “As pessoas sentem falta de ver a orquestra completa, tocando junta novamente. Esses vídeos que estamos produzindo são a nossa forma de mostrar ao público a formação completa da orquestra desde março de 2020”, explicou o maestro.

Toda programação da OFG pode ser conferida pelo Instagram, no perfil @orquestrafilarmonicadegoias.

Expressividade

Fundada em 1980 pelo maestro pirenopolino Braz de Pina, a Orquestra Filarmônica de Goiás tem conduzido seu trabalho primando pelo acesso popular a concertos gratuitos. Em suas turnês, sempre estiveram contempladas apresentações ao ar livre, em praças e espaços públicos de cidades do interior goiano que, na maioria das vezes, não dispõem de um teatro para abrigar manifestações culturais.

Desde março de 2014, Neil Thomson passou a ocupar o posto de regente titular e diretor artístico, e a utilizar de sua influência e contatos no meio musical para promover parcerias com músicos e maestros de renome internacional. Tanto que a OFG foi a primeira a receber artistas internacionalmente famosos como Nelson Freire, Antonio Meneses, Jean Louis Steuerman, Isaac Karabtchevsky e Fabio Mechetti.

A OFG também ostenta em seu currículo ter sido a primeira a se apresentar com grandes artistas populares como Lenine, Mônica Salmaso e Moraes Moreira. Desde a sua reestruturação, em 2013, ela foi a primeira instituição cultural do Estado a receber a Ordem do Rio Branco, e figurar entre as três orquestras do país selecionadas para gravar CDs do projeto Naxos, promovido pelo Itamaraty sob o selo Brasil em Concerto.

 

Comunicação Setorial da Secretaria-Geral da Governadoria

Fotos: Edinan Ferreira

 

Joomla Gallery makes it better. Balbooa.com

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.