Divulgada a lista de selecionados para o Salão Anapolino de Arte

O Prêmio de Fomento à Produção Anapolina, patrocinado pelo Fundo de Arte e Cultura, será repassado aos artistas já na próxima semana

Nada semelhante às edições anteriores, o processo de seleção dos artistas inscritos no 25º Salão Anapolino de Arte demorou um pouco mais que o previsto. Tempos de pandemia e número recorde de participantes. Em reuniões online, finalizadas no último final de semana, Wagner Barja, Clarrisa Diniz e Maria Adelaide Pontes – comissão de seleção – e Paulo Henrique Silva, curador do evento, chegaram aos 20 nomes – dentre 1.185 - que vão integrar a mostra nacional desta 25ª edição e aos quatro contemplados no Prêmio Fomento à Produção Anapolina.

Com aporte financeiro do Fundo de Arte e Cultura  (FAC),  programa de fomento do governo de Goiás,  gerenciado pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult Goiás), o Salão é uma realização da Prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Associação dos Amigos da Galeria de Artes Antônio Sibasolly.

A arte contemporânea brasileira está representada no Salão Anapolino de Arte pelos artistas Agrippina R. Manhattan – RJ; Aline Brune – BA; Aline Luppi Grossi – PR; Ana Sabiá – SC; Diambe - RJ, Eneida Sanches – SP; Erinaldo Cirino – PA; Estevão Parreiras – GO; Gê Viana - MA, João Trevisan – DF; Luiz 83 – SP; Pamella Anderson – DF; Renan Teles - SP, Renata Felinto - CE, Rodrigo D’ Alcantra – DF; Sophia Pinheiro – GO; Ueliton Santana – AC; Vic Macedo – RS; Xadalu Tupã Jekupé - RS, e Ziel Karapotó - PE. Os artistas suplentes são Iago Fernandes – MG; Raphael Bqueer – RJ, e 3º Erica Storer de Araújo – PR. Dentre os inscritos na Categoria Fomento à Produção Anapolina os artistas selecionados são Ana Paula Faria, Diego Oliveira, Joardo Filho e Rei Souza.

Outra boa notícia para os selecionados. O prêmio participação, no valor de R$ 1 mil, estará em suas contas já na próxima semana, assim como os R$ 2,5 mil dos quatro vencedores na categoria Fomento à Produção Anapolina. Para o curador do Salão Anapolino, Paulo Herique Silva, mais que se apresentar como um instrumento de promoção e difusão das artes visuais e de aquisição de obras para ampliação do acervo do Museu de Artes Plásticas de Anápolis (Mapa), o Salão deve assumir, também, um papel social. “Neste momento, em que a realidade trazida pela pandemia do coronavírus é ainda mais adversa, do ponto de vista financeiro, para os artistas, se faz necessário colaborar para minimizar esta situação”, afirma.

Quanto ao lançamento da mostra, o curador afirma que todo o calendário de realização do 25º Salão Anapolino de Arte passou por alterações e, até o momento, as datas previstas são dia 19 de agosto, na Galeria Antônio Sibasolly, em Anápolis, e 21 de novembro, no Centro Cultural da Universidade Federal de Goiás, em Goiânia. Mas, ainda não se tem certeza se, nos dois lugares, será possível abrir para visitação pública. Tudo depende de decretos governamentais quanto às normas que devem ser seguidas de acordo com o quadro em que se encontra o coronavírus, destaca o secretário municipal de Cultura, Wilson Velasco.

O secretário espera que até lá, galerias e museus possam reabrir suas portas, oferecendo aos visitantes todas as medidas de segurança sanitárias exigidas pelos especialistas na área de saúde. “A mostra traz trabalhos de grande valor artístico e estético, e queremos que todos tenham a oportunidade de aproveitar essa experiência”, diz. Wilson Velasco acrescenta que considera importante a interação, ao vivo, entre público e obras. “O trabalho realizado graças à parceria da Prefeitura/Secretaria Municipal de Cultura com a Associação dos Amigos da Galeria de Artes Antônio Sibasolly tem garantido a consolidação desse importante espaço de fomento à produção contemporânea”, destaca.