Aluna goiana da Cia Catavento é a primeira a ser aprovada na École Supériéure des Arts du Cirque

Isabela Leles Amaral, de 23 anos, está de malas prontas para Bélgica. Projeto da Cia Catavento é mais uma iniciativa contemplada pelo Fundo de Arte e Cultura (FAC)

Depois de três anos tentando processo seletivo, artista circense goiana alcança uma disputada vaga em uma das escolas de circo mais reconhecidas mundialmente. Isabela Leles Amaral será a primeira aluna goiana do curso superior de circo da École Supériéure des Arts du Cirque (ESAC), na Bélgica. Isabela, de 23 anos, é aluna do Núcleo de Formação Ampliada para o Artista de Circo, projeto da Cia Catavento financiado pelo Fundo de Arte e Cultura de Goiás, programa de fomento do governo de Goiás, gerenciado pela Secretaria de Cultura (Secult Goiás).

Isabela é uma das oito artistas selecionadas pelo NUFAAC para formação em 2021. Os alunos recebem curso de formação e têm estágios com os professores Roman Fedin e Helder Vilela. Isabela destaca a importância dessa formação para a sua conquista. “Esta formação profissional foi muito importante, pois possui uma grade curricular diversa com professores de vários segmentos artísticos que puderam me ajudar, cada um da sua forma, na seleção deste ano”, comenta. Ela destaca a oportunidade de estudar com Helder Vilela, professor de parada de mãos do Núcleo. Esta será justamente sua especialidade na ESAC e, por isso, ela comemora que ele tenha a ajudado nessa conquista. “Agradeço demais pelo trabalho incrível e por todo aprendizado com Helder. Felizmente ele é professor do NUFAAC deste ano”.

Isabela também destaca a importância da Catavento nessa conquista. “A Catavento Cia Circense é uma instituição que me acolheu, me incentivou e deu suporte para fazer esse processo acontecer desde o início. Além do trabalho oferecido via NUFAAC, eles acreditaram que valeria à pena continuar tentando e cederam o espaço para gravações de vídeos”. 

Felipe Nicknig, coordenador da Catavento, comemora a aprovação da Isabela e compartilha como, em nove anos de escola e três de NUFAAC, a Cia Catavento tem muito a comemorar. “Em pouco tempo tivemos alunos aprovados na Escola Nacional de Circo, em escolas preparatórias da Europa, e recentemente a Isabela que foi aprovada na ESAC (École supérieure des Arts du Cirque – Bélgica), que é uma das melhores escolas superiores de circo da Europa, o que torna essa conquista muito especial para nós. É isso que nos faz olhar para trás e seguir adiante, enfrentando os desafios e todas as dificuldades de se fazer arte e circo neste país, sobretudo de construir e lutar por espaços de formação circense”, celebra o artista.. 

O NUFAAC oferece formação profissional a artistas circenses em 2021, depois de exitosas experiências em 2017 e 2018. Mas não só estes artistas que são contemplados pelo projeto: o público geral ainda poderá participar da mostra “Fora do Eixo”, prevista para o segundo semestre deste ano e oferece gratuitamente cine-debates desde o mês de março. O último cine-debate oferecido exibiu “Noviembre”, do diretor Achero Mañas, no dia 5 de junho. O projeto também chega aos alunos de escolas públicas oferecendo oficinas de iniciação circense. Essas oficinas também serão oferecidas para crianças e adolescentes com deficiência visual e auditiva.

 

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.