Exposição de artistas do Centro-Oeste, em Belém, termina com lançamento de catálogo e bate-papo on-line

“Conversas: resistência e convergência” levou, ao Norte do país, trabalhos pertencentes, em sua maioria, ao acervo do Museu de Artes Plásticas de Anápolis

Iniciada em fevereiro, no Centro Cultural Casa das Onze Janelas, a exposição Conversas: resistência e convergência”, foi encerrada no dia 30 deste mês, com uma “live” organizada para lançamento do catálogo e ação educativa com participação dos artistas anapolinos Flavia Fabiana e Talles Lopes.

A mostra levou a Belém, capital paraense, a produção de 51 artistas do Centro-Oeste, com trabalhos, em sua maioria, pertencentes ao acervo do Museu de Artes Plásticas de Anápolis (Mapa).

Para o curador da exposição, Paulo Henrique Silva, o sentimento é de alívio e satisfação por vencer o imenso desafio, imposto pela pandemia, de realizar uma mostra de artes visuais em meio a todas as ações restritivas exigidas e necessárias para enfrentar os efeitos da Covid-19.

A programação on-line contou com a participação da diretora da Casa das Onze Janelas, Sanchis Santos, do diretor do Sistema Integrado de Museus e Memoriais, Armando Sobral, e do diretor do Museu de Artes, Emanuel Franco. Com transmissão pelo Youtube, no canal da Secretaria de Cultura do Estado do Pará, o bate papo começa às 17h30.

Em relação à organização da exposição, Paulo Henrique Silva destaca que se trata de uma iniciativaenrioHHenr da Teia Produções em parceria com a Prefeitura de Anápolis e com apoio do Governo do Estado do Pará. Sua execução, acrescenta ele, tornou-se viável com aporte financeiro do Fundo de Arte e Cultura (FAC), fomento do Estado de Goiás, gerenciado pela Secretaria de Cultura.

Quem quiser saber mais detalhes sobre a exposição, pode acessar o site bit.ly/expoconversas, desenvolvido exclusivamente para sua divulgação. Lá estão informações sobre todos os 51 artistas e suas narrativas poéticas, além de texto curatorial sobre a mostra.

O curador da mostra explica que “Conversas: resistência e convergência”foi idealizada com a intenção de celebrar a diversidade da arte contemporânea produzida no Planalto Central. Os artistas convidados contribuíram e contribuem para a construção da história da arte e para o aprimoramento da produção contemporânea dessa região. Paulo Henrique ressalta, ainda, a importância da mostra para o fortalecimento das divisas culturais geradas a partir da interação com as outras regiões do Brasil e jovens artistas que, recentemente, ingressaram no circuito institucional e comercial, mas conseguiram incorporar suas produções em importantes coleções públicas e privadas.

Artistas que integraram a mostra:

Adir Sodré (MT); Adriana Vignolli (DF); André Santangelo (DF); Andrea Campos (DF); Anna Behatriz (GO); Antônio Obá (DF); Bené Fonteles (DF); Bia Medeiros (DF); Camila Soato (DF); Carlos Sena (GO); Dalton Paula (GO); Divino Sobral (GO); Edney Antunes (GO); Elder Rocha (DF); Eliane Chaud (GO); Elyeser Szturm (DF); Enauro de Castro (GO); Estevão Parreiras (GO); Fernanda Azou (DF); Fernando Costa Filho (GO); Flávia Fabiana (GO); Gê Orthof (DF); Gervane de Paula (MT); Grupo EmpreZa (GO/DF); Grupo Trespe (GO/DF); Humberto Espíndola (MS); João Angelini (DF); Joardo Filho (GO); Jonas Barros (MT); Leonam Fleury (GO); Luciana Paiva (DF); Luiz Mauro (GO); Luiz Olivieri (DF); Marcelo Solá (GO); Matias Mesquita (DF); Miguel Penha (MT); Pedro Gandra (GO); Pitágoras Lopes (GO); Ralph Gehre (DF); Raquel Nava (DF); Rei Souza (GO); Rodrigo Godá (GO); Selma Parreira (GO); Siron Franco (GO); Talles Lopes (GO); Usha Velasco (DF); Valdson Ramos (GO); Valéria Pena Costa (DF); Wagner Barja (DF);Yara Pina (GO),  Zé César (GO).

 

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.